sábado, 22 de agosto de 2009

VIDA DE RENÚNCIA


Mateus 16:24
O contexto imediato é mais solene e impressionante. O Senhor Jesus tinha acabado de anunciar aos Seus apóstolos, pela primeira vez, a aproximação de Sua morte de humilhação (v. 21). Pedro se assustou, e disse, “Tem compaixão de Ti, Senhor” (v. 22). Isto expressou a política da mente carnal.

O caminho do mundo é a procura para si mesmo e a defesa de si mesmo. “Tenha compaixão de ti” é a soma de sua filosofia.

Mas a doutrina de Cristo não é “salva a ti mesmo”, mas sacrifica a ti mesmo. Cristo discerniu no conselho de Pedro uma tentação de Satanás (v. 23), e imediatamente a rejeitou.

Então, voltando-se para Pedro, disse: Não somente “deve” o Cristo subir à Jerusalém e morrer, mas todo aquele que desejar ser um seguidor dEle, deve tomar sua cruz (v. 24).

A vida cristã começa com um ato de auto-renúncia, e é continuada pela auto-mortificação (Romanos 8:13). A primeira pergunta de Saulo de Tarso, quando Cristo o apreendeu, foi, “Senhor, que queres que eu faça?”.

A vida cristã é comparada com uma “corrida”, e o corredor é chamado para “deixar todo embaraço e o pecado que tão de perto nos assedia” (Hebreus 12:1), cujo “pecado” é o amor por si mesmo, o desejo e a determinação de ter o nosso “próprio caminho” (Isaías 53:6).

O grande alvo, fim e tarefa posta diante do Cristão é seguir a Cristo — seguir o exemplo que Ele nos deixou , e Ele “não agradou a si mesmo”

Quando Jesus esteve aqui neste mundo, no exercício de seu ministério público, muitas pessoas procuravam desejosas de segui-lo.

Porém quando Jesus expunha as condições exigidas aos seus seguidores, não eram poucos os que desistiam entristecidos.

Vemos alguns exemplos em Lucas 9 57- 58
- Alguém lhe disse: Senhor seguir te para onde quer que fores, Jesus lhe respondeu: “As raposas tem covis e as aves do Céu ninho, mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.

Já podemos imaginar a expressão daquele homem.
“será que ele é mais pobre que uma raposa ou um pardal”

Em Lucas 9:59-60 vemos que a outro Jesus disse: segue-me;
A resposta do homem foi a seguinte: “permite-me ir primeiro sepultar meu pai”
A prioridade daquele homem estava no seu pai.

A palavra de Deus em Mt 6:33 diz: “buscai pois em primeiro lugar o Reino de Deus e sua justiça”

E diz mais que aquele que não deixar pai, mãe, irmão, família por amor de mim, não é digno de mim.

Ainda no Cap 9 de Lucas nos versículos 61 e 62 vemos outro que dizia
“seguir-te-ei Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me da minha família.”

A prioridade deste homem estava na família, assim como nos dias de hoje muitos estão apegados a tradição à religião dos pais ou da família.

Já podemos também imaginar também a face daquele homem diante da resposta de Jesus que disse: “Ninguém que tendo posto a mão no arado e olha para traz é apto para entrar no reino de Deus.”

Já em Mateus 19:16, vemos um jovem muito rico mostrando-se desejoso de salvação e de desfrutar a vida eterna.

“bom Mestre, que farei eu de bom para herdar a vida eterna...”
**********
Diante da resposta de Cristo, o Jovem baixou a cabeça e saiu!!!!

Com essa atitude, aquele jovem provou ser avarento, amar mais o dinheiro, os bens materiais do que a Deus. Preferindo ir para o inferno do que renunciar as coisas terrenas.

As condições exigidas por Jesus não lhe foi agradável.

Como estes homens que dos quais falamos existe muitas pessoas que não compreendem que a vida cristã é uma vida de renúncia.

Sobre isso o texto que lemos no início M16:26 diz: se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome sua cruz e siga-me.

É lamentável ver no meio do povo que se diz povo de Deus, pessoas que não entende o que é uma vida de renuncia.

“dizem sou evangélico” mas suas vida é a mesma de antes, não há mudança de caráter, nada mudou. Vemos muitos artistas na TV usando o título de evangélico. Não só na TV, mas as vezes dentro das igreja, pessoas que mudaram apenas de religião, mas o caráter mundano é o mesmo.

A bíblia diz em 2 Coríntios 5:17, se alguém está em Cristo é uma nova criatura, as coisas velhas já se passaram, eis que tudo se fez novo.

Mas as vezes vemos que nem tudo se fez novo na vida de alguns que ainda não renunciaram o costume do velho homem.
Raízes que ficaram do velho homem que não foram arrancadas.

Quando vivemos no mundo com o espírito do mundo, tornamo-nos improdutivos e sem nada para oferecer.

Como cristãos fomos chamados a romper com esse espírito mundano.
1ªPE 1:13-16 diz: - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo;
- Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
- Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;
- Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.

Deus é santo e exige dos seus adoradores, santidade, fidelidade, lealdade nas suas adorações.

Ele exige:
a) um perfeito louvor_ Com os lábios e com a vida
b) um culto racional_ RM 12:1,2
c) uma adoração em espírito e em verdade. João 4:23,24

Tanto uma vida de santidade, um perfeito louvor, um culto racional como uma adoração em ,espírito e em verdade só se é possível se tiver uma vida de renuncia. Ou seja, Negar a si mesmo.

O que significa para um homem “negar a si mesmo” totalmente?

1- Primeiro, isto significa a completa repudiação de sua própria bondade. Significa cessar de descansar sobre quaisquer obras nossas, para nos recomendar a Deus.
Significa uma aceitação sem reservas do veredicto de Deus que “todas as nossas justiças [nossas melhores performances], são como trapo da imundícia” (Isaías 64:6).

2- Para um homem “negar a si mesmo” totalmente, deverá renunciar completamente sua própria sabedoria. Ninguém pode entrar no reino dos céus, a menos que tenha se tornado “como criança” (Mateus 18:3). “Ai dos que são sábios a seus próprios olhos e prudentes em seu próprio conceito!” (Isaías 5:21). “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos” (Romanos 1:22).

3- Para um homem “negar a si mesmo” totalmente, deverá renunciar completamente sua própria força. É “não confiar na carne” (Filipenses 3:3). É o coração se curvando à declaração positiva de Cristo: “Sem mim, nada podeis fazer” (João 15:5). Este é o ponto no qual Pedro falhou: (Mateus 26:33). “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda” (Provérbios 16:18).

4- Para um homem “negar a si mesmo” totalmente, deverá renunciar completamente sua própria vontade. A linguagem do não-salvo é, “Não queremos que este Homem reine sobre nós” (Lucas 19:14). A atitude do cristão é, “Para mim, o viver é Cristo” (Filipenses 1:21) — honrá-Lo, É dizer com Cristo, “Não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres”

5- Para um homem “negar a si mesmo” totalmente, deverá renunciar completamente suas luxúrias ou desejos carnais.

“O ego do homem é um feixe de ídolos” (Thomas Manton, Puritano), e estes ídolos devem ser repudiados.

Os não-cristãos são “amantes de si mesmos” (2 Timóteo 3:1); mas aquele que foi regenerado pelo Espírito diz com Jó, “Eis que sou vil” (40:4), “Eu me abomino” (42:6).

Dos não-cristãos está escrito, “todos buscam o que é seu e não o que é de Cristo Jesus” (Filipenses 2:21); mas dos santos de Deus está registrado,“eles não amaram a sua vida até à morte” (Apocalipse 12:11).

Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo (Renuncia) tome a sua cruz e siga-me.
Tome a sua cruz”. Isto se refere não à cruz como um objeto de fé, mas como uma experiência na alma.

Tomar minha “cruz” significa uma vida voluntariamente rendida a Deus.

A “cruz” significa serviço vicário e sofrimento. Cristo deu a Sua vida pelos outros, e Seus seguidores são chamados a estarem dispostos para fazerem o mesmo: “Devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1 João 3:16).

Esta é a lógica inevitável do Calvário. Somos chamados para seguir o exemplo de Cristo, para a companhia de Seus sofrimentos, e para ser participantes em Seu serviço.

Assim como Cristo “a si mesmo se esvaziou” (Filipenses 2:7), assim devemos fazer. Assim como Ele “veio para servir, e não para ser servido” (Mateus 20:28), assim devemos ser.

Isso é glorioso, há um hino intitulado a mensagem da cruz, seu refrão há uma parte linda que diz:
“Levarei eu também minha cruz, te por uma coroa trocar.”

Que o Senhor nos ajude a estarmos sempre dispostos a renunciar a nós mesmos e com alegria e disposição tomarmos a nossa cruz e seguirmos os passos de Jesus.

2 comentários:

Rita de Cassia disse...

Pastor Davi
Realmente levar uma vida de renúncia por amor ao Nosso Senhor Jesus, requer que sejamos verdadeiros servos e adoradores, colocando o nosso coração no Seu Altar. É simplesmente maravilhoso.
Temos que a cada dia negarmos a nós mesmos, para que venhamos verdadeiramente honrar e glorificar o nome Dele.
Fique na paz e tenha uma semana abençoada.
Rita de Cassia

Presb. Fabio Scofield disse...

Olá Pr. Buriti, A paz do Senhor.
Diz a letra de um certo hino; que tudo que Jesus conquistou na cruz, é direito nosso. Será que Renúncia, também faz parte desta conquista? Eu creio que, para a maioria dos evangélicos, não. pelo ou menos, este não é o entendimento dos que pregam, ou dos que buscam o evangelho,onde o conceito Renúncia, estar em apenas deixar de pecar.
Pois o evangelho para a maioria dos crentes é sinômimo de mudanças de vida, Exemplos: Prosperidade, fama,sucesso e reconhecimento.
Foi isto, que Jesus donominou de Renúncia? quando ele disse: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Quem quiser, pois salvar a sua vida perdê-la-á.Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria um homem em troca de sua alma? Será que nos já entendemos esta mensagem? Temos em Filipenses dois grandes exemplos: 1º) Fl-2:5-11-Cristo Jesus, que abdicou da sua glória, para se tornar um de nós.
2º) Fl-3:7-16 -Paulo o homem pecador, que abandonou tudo, para participar da santidade de Cristo.
Aí,com estes sim, podemos a prender o que é Renúncia.
Ou nos torne-mos inimigos da cruz de Cristo Fl-3:17-Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós. Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia.Visto que só se preocupam com as coisas terrenas.
Muito obrigado, por esta postagem, este assunto é tão importante para o Cristão, quanto a volta de Cristo.

Deus te abenções..........